sábado, 15 de agosto de 2009

Partido Nulo

Símbolo do Partido Nulo, representa o nulo absoluto, o nada e o tudo.
-
Em Portugal o voto é opcional, o que permite, por alienação ou por insatisfação, a abstenção eleitoral e ela tem acontecido em grande número. Se por um lado os partidos já existentes vêm fazendo um grande esforço para levar o eleitor a urna sob a justificativa de que o voto é decisivo para a mudança, para a melhora … Por outro, existe um grupo de pessoas que constatou um descontentamento generalizado com a política e vislumbra uma renovação mais profunda.

O sistema eleitoral aqui não inclui o voto nulo, opção que demonstra insatisfação com os candidatos e altera a proporcionalidade. A abstenção, segundo eles, serve apenas como uma forma de legitimar as propostas que são apresentadas pelos partidos. Pelo contrário, um voto nulo lança a desconfiança em relação ao sistema funcionar ou não. Como respaldo para seu discurso, eles citam o atual governo, eleito com maioria absoluta dos votos, representa, entretanto, nada mais de 30% dos votantes inscritos.

Inspirados em países como Canadá e Alemanha, nos quais existem partidos e candidatos reais que se comprometem em, uma vez eleitos, não tomar posse, o Partido Nulo é a apenas um movimento que sugere o voto criativo (uma rasura na cédula) como protesto. “Apelamos ao voto nulo porque recusar os maus candidatos que se apresentam a eleições é um direito legítimo” Diz Manuel Ramos, líder do movimento, em matéria a tvi 24 (http://www.tvi24.iol.pt/politica/partido-nulo-movimento-eleicoes-voto-abstencao-tvi24/1080571-4072.html)

Minha única observação a respeito disso tudo é que o sr. Manuel João Ramos há dois meses era vereador da câmara de Lisboa. Ou seja, toda essa atividade não surge da motivação pública, mas da iniciativa de um político. Não sei não, mas isso me lembra a tempestade que muitas vezes se faz no Brasil e acaba dando origem a partidos políticos que, por fim, repetem a postura dos seus antecessores.

1 comentário:

raphaelloureiro77 disse...

por aqui se vivem dias difíceis onde o descontentamento com os políticos é muito grande. em portugal como quase toda europa ocidental, existem 2 partidos que se alternam no poder e que hoje são quase que a mesma coisa e somente com algumas diferenças. (falo dos "sociais democratas" e dos "socialistas").muito parecido no brasil com PT e PSDB que estando no poder correm logo para o "colo" do fisiológico PMDB do sarney.

eu sou favoravel a respostas concretas contra essa classe política que só se da bem dentro da política e não cumpre em nada as promessas de campanha. pra ja acho que a abstenção pode ser uma arma e também a cobrança diaria sobre esses picaretas no dia a dia, na rua, internet e etc.

Etiquetas