sábado, 5 de setembro de 2009

Vejo BBs

Não sei se sou eu, se é o verão, se foi o inverno, a questão é que vejo bebês e grávidas, muitos deles! Nunca vi tantas crianças em Lisboa! Na empresa em que trabalhei, tenho várias colegas de licença maternidade e, na empresa do Rapha, são tantas as grávidas que eles não pretendem contratar mulheres por um bom tempo (lastimável…).

O que observei…

1- Há uma moda em vestir irmãos do mesmo sexo com roupas iguais, sejam meninos ou meninas, independente da diferença de idade. Blusa, bermuda, sapato e, às vezes, até o enfeite do cabelo! A ideia não me agrada nem para os gémeos, mas já vi até em capa de revista. Um parzinho de jarros… Coisa mais esquisita…

2- As crianças são loucas pelo tal do Noddy, mesmo as mais novinhas que ainda nem sabem falar. Nunca vi o desenho, mas fiquei curiosa. Tem um carro da personagem no centro comercial e elas saem correndo, frenéticas, uivando de felicidade. Quando os pais ameaçam ir embora, algumas escolhem ficar com o Noddy!

3- Existe uma prática ainda comum (que parece que aos poucos vai sendo erradicada da sociedade portuguesa), alguns pais ou avós não hesitam em dar um bom tapa na cara das crianças. Vi duas situações, uma mãe com uma filha de uns 4 anos e, na outra, um avô com um bebê de no máximo 2 anos. Em ambas, as crianças estavam fazendo pirraça, comportamento feio mesmo, mas que não justificava (nada justifica) o tapa agressivo que levaram na cara.

4- Ainda se usa muito os fórceps aqui! Eles insistem no parto normal em praticamete todas as circunstâncias, o que ao meu ver acaba exigindo o uso do fórceps. Dois exemplos de partos em que no Brasil se faria imediatamente cesariana; foi o de uma colega de 39 anos, primeiro filho (este correu tudo bem, e eu, na minha leiguisse, apoio) e o da minha ex-chefe, um parto provocado 2 semanas antes do previsto, foi feito uso fórceps. Tenho horror aos ferros, medo total, não quero cesária, mas se a alternativa for fórceps, podem trazer o bisturi.

5- Conversa entre ucraniano e brasileiro, (pra fechar com chave de ouro hehe): um diz, “O Brasil deve estar crescendo (economicamente) bastante, porque os brasileiros têm muitos filhos. Na Ucrânia a vida está muito difícil e ninguém tem mais de um filho!”, o outro questiona “Então não se faz mais sexo lá?!”

2 comentários:

Amanda disse...

Nossa, nem sabia o que era forceps! Que coisa mais rudimentar! Fiquei até com medo!

Sera que não era por causa das férias que vc tava vendo um monte de crianças?

Agora diz pro ucraniano que a natalidade no Brasil ta em baixa! A França, por exemplo, tem uma taxa de natalidade mais alta que o Brasil.
Beijos!

Cris disse...

O fórceps tem indicação e pode salvar a vida da mãe e do bebe, no caso, por exemplo, do parto normal estar em curso e a criança ficar "engatada" no canal vaginal. Se ficar muito tempo por lá, pode ter complicações seríssimas. Mas tb deve ser evitado em uma série de situações, pq pode causar até problemas mentais na criança.

A questão é que eu acho q tem qq coisa errada aqui, da mesma forma que no Brasil se faz mais cesarianas que se deveria, aqui se usa mais ferros,do que EU acho concebível.

No Brasil, que conheço muitas pessoas, tenho familia grande e várias amigas com filhos, não sei de ninguém que precisou de fórceps, aqui, não conhece quase ninguém e sei de várias pessoas, cujos filhos foram retirados por ferros.

Sobre a taxa de natalidade, no Brasil está caindo, ao contrario do que ocorre na Europa, devido até mesmo ao esforço do governo. Entretanto, o brasileiro, continua tendo uma familia maior que o europeu. Acho importante é informar ao brasileiro que ninguém precisa parar de transar pra não ter filhos!!! hehe

Etiquetas